sábado, 17 de abril de 2010

Belo Horizonte, 16 de abril de 2010


Vamos de mais rabiscos e esboços:


Esta viola rasa, distinta, absurda

Um rasgo no nada

A dor desesperada

Viola chorada

Afogada na mágoa do açoite

De dia e de noite


Esta viola amargurada

Que veste um sorriso de dor exaltada

Num pranto


Quebranto da ira o pinho esculpido

Qual cintura da amada cantada na lira


Esta viola descrita impertinente

Lágrima

Salgada amarga estridente

Sustando distante

O triste verso, vacilante caminhante

Na lua, rua desse universo


Desamores que ficam crônicos

pessoas que findam

valores anacrônicos

amores anônimos


Pensamentos sórdidos

opiniões que são válidas

lamentos que são nada

tempos de desconcerto


Flores de outono

invernos que pesam

pedras que esfarelam

fé que fica descrente


Falhas em ti

problemas inacabáveis

e poemas também...


Amórfico

Encardido poema

Escrito a borrões

Feito com caneta que falhava

Borrão de poema

Feito às pressas

Derrotado

De bolor singular

De poeta antecedente à morte

Verso desgraçado

Desgarrado de simetrias

Sem métricas

Sem honrarias

Turvo

Redundante

Curvo

Petulante

Escarrado

Dilacerado

Poema condenado

De um bodum condensado

Em frias e longínquas bordas

essas bordadas de desprazeres

Escuro

Vadio, traído

Boêmio, viúvo

O fator medo o consome

Ele desintegrado

Mórbido poema

Por vezes fúnebre

Desses que não se deve escrever

Desses que não deve viver


Coloquialismo, coloque ali

Ali mesmo, o coloquialismo


Coloque ali mesmo, o coloquialismo

Ali na língua, alienada língua

Ali na língua do povo


Coloque ali mesmo o coloquialismo

Na língua do povo dito erudito

Coloquialismo na língua purista

No foco radical da língua radicalista

Coloquialismo, com lacre ambíguo

Coloquialismo:dom lorde amigo da língua de baixa classe


Licença poética aos ignorantes!

Licença poética aos ignorantes!

Licença poética aos ignorantes!

Amém


Mentiroso verso

Mentiroso verme

Verso verme

Verme perverso


Camuflado verso

Retalhado

Quase desmaiado


Verso demente

Desgraçado

Verso mentiroso

Ausente

Escarrado


Descolorido verso

Dolorido

alterado


Sentimento desmantelado

Estranho, extremo, inconformado.

E o amor marca o passo da saudade.


Um comentário:

  1. Grannnnde Gleison....aqui...consigo achar algum material ao vivo seu em mp3? O seu cd é o mais tocado da galera no bar do bitoca, em Pitangui...e eles estavam querendo ouvir o "Live"....rs...se souber indicar algo... pode entrar em contato comigo pelo site: umtantodeideias(.)com.br

    ResponderExcluir

Seguidores

Loading...