sábado, 3 de janeiro de 2009

Matozinhos, 09 de dezembro de 2008


Mais ou menos em 2000, num fim de tarde no Rio, estavamos eu e o Elísio na casa do Heitor Martinez; tomamos um gole de vinho e em dez minutos escrevemos esse musicopoema: Amigo sol. Esta música fo ilançada no ano de 2004 no disco Cabocobão. Uma versão com vocais com estilo quarenta, baixo sem traste emprestado do Estúdio Gênesis, um solo picareta com meu sax que foi roubado e uma base meio bolero, meio índia farsa. Desta gravação, só não gosto da voz principal que ficou meio exagerada. Depois esta música saiu no Bonus Track 2 com sua gravação original do Estúdio Clave de Sol – a voz meio desafinada e uns violões desentrosados, mas a letra vale a pena talvez:

Amigo sol

Dentre o findar da madrugada
Onde o sol vai amanhecer
Entre as cores que vivem guardadas, dentro do meu ser

Amanhecer...
Amanhã ser...

Veja: o sol raiou o dia
alegria
Sol que vem a findar a noite
afinar talvez

Esse meu jeito: simples poeta
A embarcar-se
Sem meta
Nesse bonde transbordante:
A vida
Há luz

Amigo sois Amigo sol

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog

Loading...