sábado, 3 de janeiro de 2009

Pedro Leopoldo, 17 de dezembro de 2008











Recebi algumas fotos bacanas do último show no London Pub feitas pela Drica: valeu moça, valeu Davi, valeu Revival! Mudando de assunto, temos uns escritos que falam um pouco desse nosso país ( claro, antes de ver Boça na bossa):

Cabaça pintada
Chocalho colorido
Ganzá dançante
Rede trançada
Chapéu de palha
Brasil sertanejo
Onça pintada
Água benta
Brasil brejeiro
Berimbau corta
Bambu transforma
Sandália de couro
Verde mata
Manhã azul
Quadro pintado
Fruto silvestre, silvícola
Brasil moldado
Caatinga, serrado
Fome, assassinato consumado
Brasil amedrontrado

Falas deste país
Línguas deste país
Pais de línguas em mescla
Hiper-cortiço mestiço
Negro branco mameluco amarelo cortiço
Curtido em desavenças
Colonizado e martirizado
Calejado explorado
Analfabeto Brasil varonil

País feliz infeliz
Ambíguo em sentimentos
Brasil de sofrimentos:
Minha terra tem favelas
Onde cantam metralhadoras
As facas que aqui cortam, sangram e ferem fundo
Decepam, degolam à ferro e fogo
Brasil jogo
País do futebol
Campo de terra
Campo de agricultura
Campo minado
Pátria florida
Pátria amada
Madre dolorida
Árvore podada
Pelo trabalho do povo traçado
Brasil proletariado
Descrito em vários versos
Vídeos, vidas, vitrines
Vive varonil Brasil e seu pendão hasteado
Torrão esverdeado
Economicamente sacaneado
Salvo o bolso político
Brasil colônia
Brasil império
Brasil severo
Severino
Menino
Clementino
Maria
José
Brasil João
País de ninguém
Casa doce casa
Lar dietético lar
País montanha
País avalanche
País terra
País pai
País uai
Nascido mineiro
Vivido baiano
Escrito capixaba
Nordestino
Brasileiro por ofício
Berço hospitaleiro
Terço de pedras preciosas
País diamante lapidado
País diamante
País de amantes
País amado
Brasil sorteado
Brasil loteria
Brasil rico
Brasil baixa renda

Cachaça
Graça
Circo
Brasil picadeiro
Palco

Brasil manco
Brasil cocho
Doente
Vivo, insistente ofegante elegante
Brasil gigante

Brasil berimbau
Tupi guarani, carnaval
Guaraná
Vatapá
Tutu
Angu
Sarará
Vasto folclore
Cheio de violas
Caipiras
Contextos
Textos e pretextos

Brasil, Brasil, Brasil
Grito mulato

Brasil homem
Brasil mulher
Brasil criança
Brasil ancião
Brasil qualquer
De pé descalço
De banco de praça
De roça
De graça
Brasil alugado
País pago
País gorjeta
País sarjeta
Nação de veneta
Onde chora a corneta
E roncam motores
E nascem dores
E seminam amores

Cromático Brasil de milhões

Brasil mendigo, favelado
Me pediu trocado
Dormiu sujo imundo
Num banco de praça quebrado
Saiu mancandoMeu olhar foi e o acompanhou de lado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog

Loading...