terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Pedro Leopoldo, 13 de janeiro de 2009


Milagrosamente nesse final de semana estou quase de férias, e por falar em férias temos um escrito de um dia de férias na cabana de um amigo num fim tarde:



Casa de amigo

A rua aprazível
Aviãozinho de madeira pendurado
Marionete
Uma estante e guarda-roupa fixos
O vitral para sensibilistas

O céu liberou a entrada da luz somente pela janela
(a luz foi subordinada e subornada pelo céu a entrar)
De troca um reflexo

Uma rede de dormir marrom
-é só reencostar na diagonal - disse uma baiana
Como os antigos, o deixar de sapatos à porta
Como uma velha tia minha

O ar aprazível de uma cidade dita em canções

Uma luminária de chapéu de palha: espantalho urbano de mau agouro

E a rua aprazível
E a brisa
E a preguiça
E deixa-se isso e levanta-se
Para depois escrever outra poesia
Em outros capítulos de vida

Ontem chovia
Hoje o brilhar do dia
Amanhã saudade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog

Loading...